Pix Cobrança: como funciona e como usar?

por | mar 20, 2021 | Tecnologia | 0 Comentários


O Pix Cobrança foi anunciado e promete tornar o uso dos boletos coisa do passado. Saiba como ele funciona e como esta nova tecnologia promete alavancar o mundo dos pagamentos no Brasil. O Pix é o pagamento instantâneo brasileiro. Ele faz parte do SPI (Sistema de Pagamentos Instantâneos) e foi criado em fevereiro de 2020 pelo Banco Central. Ele começou a operar em novembro do mesmo ano no país.

O objetivo principal do sistema é a possibilidade de efetuar transações e pagamentos de maneira instantânea e gratuita (para pessoas físicas), 24 horas nos 7 dias da semana, desde que você tenha, é claro, dinheiro na sua conta.

Saiba mais: O que é Pix, como funciona e 5 vantagens em usar hoje mesmo

Como funciona o Pix?

Para utilizar o sistema Pix, basta entrar no aplicativo do seu banco, procurar pela opção Pix e cadastrar as chaves eletrônicas. Estão disponíveis para cadastro quatro tipos distintos de chaves:

  • CPF;
  • Email;
  • Número do telefone celular;
  • Chave aleatória gerada pelo Banco Central. 

A Chave Aleatória ou Endereço Virtual de Pagamento (EVP), é uma sequência aleatória de números, letras e símbolos, as quais identificam a conta do titular. Esta opção é uma alternativa para as pessoas que não desejam informar seus dados pessoais para outras pessoas na hora de realizar transações bancárias. 


No caso de precisar mudar o endereço de email ou o número de celular, deve-se cadastrar os novos dados e excluir os antigos. É possível castrar 5 chaves eletrônicas, no caso de contas bancárias de pessoas físicas. Pessoas jurídicas podem cadastrar até 20 chaves. 

Apesar de ser gratuito para pessoas físicas existem taxas de cobrança de Pix para pessoas jurídicas. Clientes PJ do Itaú, Banco do Brasil, Santander e Bradesco podem pagar até R$10,00 em tarifas por transação via Pix. A Caixa Econômica e algumas fintechs são as únicas que ainda têm isenção de taxas. As tarifas variam de acordo com o banco. 

Mesmo com taxas, para autônomos, utilizar o Pix tem grandes vantagens. As taxas cobradas pelos bancos ainda são menores do que as cobradas por empresas de cartão de crédito. 

As vantagens da implementação do Pix nos bancos são inúmeras, mas nem tudo é perfeito. E a principal desvantagem dele é a impossibilidade de realizar transações agendadas ou com adição de juros ou descontos. 

Confira no vídeo a seguir, um pouco mais sobre o funcionamento do Pix


Saiba mais: O que é Pix, como funciona e 5 vantagens em usar hoje mesmo.

Para isso, em outubro de 2020, o Banco Central divulgou o lançamento de mais uma funcionalidade do sistema:

Pix Cobrança: o que é e como funciona?

Em resumo, a nova funcionalidade vem com o objetivo de dinamizar o pagamento de contas. Em nota, o Banco Central divulgou que através do Pix Cobrança: lojistas, comerciantes, prestadores de serviços e demais empreendedores poderão emitir um QR Code personalizável para pagamento instantâneo ou agendado, através de datas de vencimento.

De forma resumida, o Pix cobrança permite que seja feito o agendamento ou definir uma data de vencimento da cobrança. Algo que ainda não era possível no Pix “normal”. Com esta função, o Pix Cobrança é um forte candidato a substituir os famosos boletos.

Será possível também ao autônomo adicionar informações além do valor de venda ou de serviço como multas, juros e desconto. Para realizar o pagamento, o cliente deverá escanear o QR Code e efetuar a transação. 


Pix Cobrança: O que é e como funciona?

O Pix Cobrança trás diversas vantagens tanto para o cliente, quanto para a pessoa que está oferecendo um serviço ou produto. 

Como benefícios podemos citar:

  • Agilidade para o cliente que não precisará mais portar consigo boletos que exigem a ida a bancos e lotéricas com longas filas.
  • Rapidez no pagamento, que será efetuado no mesmo momento da transação, sem a necessidade de esperar dias para que o boleto seja debitado. Esta é uma grande vantagem tanto para o cliente quanto para o empresário. 
  • Não há cobrança de taxas bancárias para a emissão do QR Code, o que possibilita ao autônomo não repassar valores das taxas em seus serviços. 

Vale lembrar, que a não cobrança de taxas para pessoas jurídicas fica a critério do seu banco e as regras de número máximo de transações gratuitas estão disponíveis no site do Banco Central do Brasil. 

A ferramenta do Pix Cobrança tinha previsão de início para o dia 15 de março de 2021. Porém, o Banco Central adiou novamente e agora ele estará disponível a partir do dia 14 de maio de 2021. 

O Pix veio para substituir as transferências via TED ou DOC, nos possibilitando transações instantâneas e isentas de taxas. E agora vem o Pix Cobrança, para substituir boletos e dinamizar esse tipo de pagamento de contas de maneira rápida, fácil e isenta de taxas bancárias para sua emissão. 

Continue no Blog


Entidades:

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.

Shopee Xpress: como rastrear seu pedido Casa de madeira: 10 projetos para te inspirar Apelido para namorado Criptomoedas para 2022 Bolos Vulcão Corretora de criptomoedas