Assinaturas no Instagram: como funciona o novo recurso?

por | jan 25, 2022 | Instagram | 0 Comentários


Você segue algum influencer no Instagram que oferece um tipo de conteúdo que te agrada muito? Caso a sua resposta for “sim”, estaria disposto a pagar dinheiro para receber um material exclusivo? Então, saiba que já começou o sistema de assinaturas no Instagram.

É importante deixar claro logo no início deste post que a nova função ainda está em fase de teste, e só começou a ser implementada em janeiro de 2022. Assim, o Instagram segue a tendência de outras redes sociais, que já disponibilizam há anos maneiras dos criadores de conteúdo tenham uma forma adicional de ganhar dinheiro nas plataformas.

Saiba mais: Divihub: como ganhar dinheiro investindo em influenciadores?

Dessa forma, o novo recurso chegou primeiro na App Store dos Estados Unidos, não foi divulgado quando chegará a novidade em outros países.

Como vai funcionar o sistema de assinaturas no Instagram?

Desde 2021 circulam rumores que já indicavam que o Instagram estava planejando lançar uma ferramenta de assinatura, um sistema parecido com o OnlyFans, ou seja, um recurso que permite aos criadores de conteúdo disponibilizarem materiais exclusivos aos seguidores, diante o pagamento de uma assinatura.


Como se trata de uma fase de teste, a novidade ainda está bem restrita, sendo exclusiva para apenas dez influenciadores estadunidenses. Dentro desse grupo tem jogador de basquete, ginasta, medalhista olímpico e até treinador espiritual. Essas pessoas precisam divulgar e dar um feedback da nova ferramenta.

Com isso, veja, a seguir, a lista de influenciadores com a novidade:

A plataforma de assinaturas do Instagram vai ser importante para os criadores de conteúdo que além de poder receber uma renda adicional, vai gerar um incentivo maior na produção de material para essa rede social. Dessa forma, o Instagram vai ganhar novas armas para enfrentar os concorrentes que criam ganhos diretos para os influencers, por exemplo, o TikTok.

E apesar de estar em fase de teste, a novidade já possui algumas regras, como os criadores de conteúdo poderem definir o preço para acessar as postagens exclusivas. Os valores começam em US$ 0,99 mensais e podem chegar até US$ 99,99 todo mês. A expectativa é que o influenciador deva começar pela menor faixa de preços, e com o passar do tempo ofereça pacotes mais altos.

Outra característica já definida é que os assinantes vão receber um selo especial, na cor roxa, que terá a função de dar destaque nos comentários e no direct dos influenciadores.


O conteúdo que será disponibilizado para os assinantes pode ser variado, tudo vai depender da criatividade do influencer, que vai desde bastidores de um projeto, enquetes especiais, segredos, stories exclusivos, entre outros materiais.

E para proteger os influenciadores, ainda que o conteúdo seja pago, divulgar o material se caracteriza como violação de seus termos de uso. Além disso, o próprio Instagram incentiva e faz alertas para que os influencers denunciem quem fizer capturas de tela ou tirar prints do conteúdo.

Vai ser permitido que os influenciadores acessem o valor extra ganho, a quantidade de assinantes, verificar as novas assinaturas e os cancelamentos nas configurações da plataforma. No entanto, não será possível compartilhar a lista de assinantes ou outro tipo de informação dos pagantes.

Saiba mais: Influenciadores Digitais: o que é e 3 motivos para parcerias

As pessoas que desejam se tornar patrocinadores dos influencers do Instagram, a assinatura do conteúdo exclusivo poderá ser feita na loja de aplicativo tanto pelo iOS quanto no Android.


Sistema de assinantes é tendência nas plataformas da Meta

No comunicado em que divulgou o novo recurso, a Meta explicou que as assinaturas do Instagram vão funcionar de uma maneira bastante parecida ao recurso já presente no Facebook. Isso significa que, não ocorrerá cobrança de taxas sobre os valores pagos pelos seguidores até 2023.

Sendo assim, hoje em dia, a Apple realiza uma cobrança de 30% de todas as transações feitas na Apple Store, enquanto o custo cobrado pelo Google varia entre 15 ou 30%, de acordo com o faturamento anual do desenvolvedor.

Dessa forma, em novembro de 2021, nas assinaturas do Facebook, a Meta divulgou o desenvolvimento de uma série de ferramentas que oferecem maior controle aos criadores de conteúdo sobre a relação com os assinantes e os valores pagos por essas pessoas.

Portanto, o esperado é que todas essas novidades também apareçam aos seguidores que assinarem a nova ferramenta do Instagram, o que permitirá os influenciadores ganharem dinheiro adicional por um meio diferente dos sistemas de quitação do Google e da Apple, com o intuito de não pagar tarifas ou exibir especificamente quanto dinheiro fica com essas empresas.

Ao menos no Facebook, a Meta diz que, no caso dos assinantes que permitirem a visualização de seu e-mail, esse dado poderá ser importante para que os criadores façam novas formas de se relacionar com seus seguidores pagantes.


assinaturas no instagram - Foto 1

Foto: Divulgação/ Thought Catalog no Pexels

Assim, a empresa de Mark Zuckerberg ainda evidenciou que trabalha em um sistema de premiações para os seus colaboradores. O objetivo é incentivá-los a ganhar novos assinantes oferecendo bônus e prêmios como pagamento.

Ainda não foi revelado quando esses recursos adicionais chegarão às assinaturas do Instagram para o grande público de influencers, mas todos as ferramentas mencionadas já estão presentes no Facebook.

A função de assinantes não é novidade dentro das redes sociais

O Instagram só está começando a implementar o recuso de assinantes agora, mas essa funcionalidade já existe há anos. Por exemplo, o YouTube já conta com o clube de membros desde 2018, na qual os inscritos podem pagar para receberem conteúdos exclusivos, como vídeos, lives, emojis nos comentários, entre outras possibilidades. Além disso, ainda existe o YouTube Premium, que traz uma série de funcionalidades interessantes.

Outra rede social que já trabalha há bastante tempo com serviço de assinatura de conteúdos exclusivos é o OnlyFans. Inclusive, a novidade do Instagram gerou comparações com a plataforma que tem a fama de comercializar conteúdo para adultos.


Outra rede social que já embarcou nessa onda de assinaturas de conteúdo exclusivo foi o Twitter com os Super Follows, que recentemente foi disponibilizado para todos os usuários de iOS. No caso dessa plataforma, quem fazer a assinatura passa a ganhar acesso a uma “etiqueta” que é mostrada em respostas de tweets, assim como recebem conteúdos exclusivos. Também é permitido mandar gorjetas para os criadores sem ter algo em troca.

E hoje, o principal concorrente do Instagram, o TikTok, é outra rede social que está ofertando alternativas para que seus criadores tenham uma maneira de produzir dinheiro com o trabalho que realizam.

Todas essas mudanças mostram que cada vez mais as empresas, que antes entregavam somente a plataforma para os influenciadores trabalharem, agora estão se preocupando a estimular o lançamento de alternativas de materiais para geração de renda extra.


Entidades: Instagram

0 comentários

Enviar um comentário

O seu endereço de e-mail não será publicado.